O empresário Marcelo Odebrecht disse em depoimento à juíza Gabriela Hardt que a empresa pagou 200 milhões de reais em propinas para Lula e Antonio Palocci. Além disso, acusou os petistas de quererem mais.

“Teve alguns pedidos de propina que inclusive foram negados com base na existência da planilha Italiano e que imagino que outras empresas acabaram tendo que pagar. Por exemplo: a questão de Belo Monte, a questão de sondas”, disse.

Emílio Odebrecht, pai de Marcelo, também prestou depoimento e confessou que a reforma do Sítio de Atibaia, apontado como de Lula, foi um pedido da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

“Como eu disse a Alexandrino [Alencar, ex-executivo da Odebrecht]: você me trazer isto, mesmo que eu quisesse negar, eu não tenho como negar por todos os ativos intangíveis de mais de 20 anos de convívio com o presidente”, falou.

COMPARTILHAR