O incêndio na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), neste final de semana, provocou um clima de tensão entre servidores da casa, uma vez que as chamas atingiram o setor financeiro e de Recursos Humanos da Casa Legislativa.

Apesar do presidente da Alba, Angelo Coronel, já ter afirmado que os salários do mês de julho serão pagos normalmente, sem atrasos, outra coisa causou estranheza de algumas pessoas: o fato do incêndio ter ocorrido três dias antes do setor financeiro ser transferido de local.

Além disso, as chamas tomaram o setor financeiro e de RH justamente em um dia sem nenhuma movimentação na Casa, um sábado, quando não há expediente de funcionários ou movimentação de pessoas de fora.

O setor de RH já estava funcionando em outro local, uma vez que a reforma já havia começado. O financeiro, no entanto, seria transferido nesta semana para que o espaço também passasse por uma reforma.

Funcionários da empresa responsável pela obra e policiais da guarda da Alba serão ouvidos por equipes da 11 Delegacia Territorial (DT/Tancredo Neves), que cuidará do caso, e do DPT. A previsão inicial é de que o trabalho de perícia dure toda a semana.

COMPARTILHAR