Falso procurador usava o Tinder para roubar e estuprar; médica e advogada foram vítimas

Um homem de 41 anos que fingia ser procurador federal e diplomata em aplicativos de relacionamento é acusado de estupro e roubos contra mulheres de alto poder aquisitivo em São Paulo. De acordo com a Veja São Paulo , Lauro Chamma Correia foi preso na tarde de quinta-feira (26/4) no restaurante Pirajá, na Alameda Santos, nos Jardins. O acusado conhecia as vítimas por meio dos aplicativos Happn e Tinder e marcava encontros em restaurantes badalados da cidade. Quando chegava ao local combinado, as dopava por meio do golpe conhecido como “Boa noite Cinderela”. É o que aponta as investigações policiais.

Depois, as levava para as casas das mulheres, ou para seu flat no Jabaquara, onde abusava sexualmente delas e tinha acesso livre a seus cartões de crédito. Em um dos casos, Correia chegou a filmar um dos estupros com seu celular. O equipamento foi apreendido.

Das quatro mulheres que denunciaram Correia, duas prestaram depoimentos nesta sexta-feira (27) na delegacia. Moradoras de bairros como Moema, Liberdade e Aclimação, as vítimas estão na faixa dos 40 anos e teriam sido enganadas pelo homem a partir de junho de 2017. São uma médica, uma contadora, uma psicóloga e uma advogada.

COMPARTILHAR