Comissão de defesa do Rio Utinga apresenta propostas em reunião com a Sema e Inema

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) se reuniram, na última segunda-feira (5), em Salvador, com a comissão de defesa do Rio Utinga para continuidade das discussões para as ações de enfrentamento à crise hídrica que afeta a sub-bacia do manancial. O encontro contou com presença de prefeitos e secretários dos municípios de Utinga, Bonito, Wagner, Andaraí e Lençóis, além de representantes de movimentos sociais, Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paraguaçu, e de membros da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS), da Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento (Cerb), Embasa e Bahiater/SDR.

No encontro, os atores da região apresentaram sugestões de revitalização da sub-bacia e para o enfrentamento da crise. “O agravamento dessa crise pode afetar ainda mais a disponibilidade de água e o desenvolvimento da região. É necessário um esforço coletivo para encontrar soluções reais para a situação hídrica do Rio Utinga”, destacou o presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paraguaçu, Evilásio Fraga. Ainda de acordo com o secretário Geraldo Reis, “todas as soluções dadas pela comissão serão dialogadas com o Governo do Estado para construir um melhor cenário para o Rio Utinga”.

Na oportunidade, foi apresentado o cenário hídrico atual da região, elaborado pela Sema/Inema, por meio da análise dos dados dos 1.117 cadastros dos usuários que captam água do Rio Utinga. O cadastro é uma ferramenta de gestão que auxilia o Governo do Estado conhecer os diversos usos e usuários dos recursos hídricos na Bahia. O estudo foi pautado e elaborado na quantidade de usuários que fazem captações superficiais, subterrâneas, por barragem e por lançamento de efluentes.

Além da análise das áreas irrigadas através da água do rio, métodos de irrigação, usuários outorgados e os que utilizam os recursos hídricos de forma irregular. De acordo com o secretário Geraldo Reis, “o objetivo do Governo do Estado é promover uma pactuação entre os atores sociais e econômicos da bacia para que, juntos, possam buscar possíveis soluções para a revitalização do Rio Utinga e garantir a disponibilidade dos recursos hídricos para os municípios da região”. Com informações da Sema.

COMPARTILHAR