Comissão de Agricultura analisa estiagem na Bahia

Os deputados que integram a Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa não escondiam, ontem pela manhã, durante a sessão ordinária, um grande entusiasmo pela chegada das chuvas em grande parte do interior do Estado, embora ainda existam municípios que aguardem, com muita expectativa, o aumento do volume  das águas em seus territórios.

A sessão foi comandada pelo vice-presidente, deputado Fábio Souto (DEM), a pedido do próprio presidente Eduardo Salles (PP), que foi a Brasília em missão parlamentar para tratar principalmente da audiência com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. O objetivo do encontro é avaliar a situação de calamidade pública que alguns municípios baianos ainda atravessam pela longa estiagem que passaram com a perda da produção agrícola e dos rebanhos. Os produtores estão bastante endividados e precisam de renegociação, além do subsidio do milho que serve de alimentação para os animais bovinos, caprinos e ovinos.

  O deputado Fábio Souto (DEM) fez uma alerta para os representantes dos municípios, destacando que toda essa chuva precisa ser armazenada e, por isso, a expectativa pela construção de pequenas barragens pelo Governo do Estado é muito grande.

 “Temos preocupações, mas estamos felizes também porque em algumas regiões têm chovido de 70 a 200 milímetros. Outros apresentam muita esperança de receber volume de água satisfatório. A construção de pequenas barragens é de muita importância porque se pudéssemos acumular pelo menos 40% dessa água seria muito bom para o futuro. A prevenção é a melhor saída”, disse o parlamentar democrata.

O deputado Gika Lopes (PT), por sua vez, demonstrava um misto de satisfação e  ansiedade. Na sua região choveu em vários municípios, mas a cidade de mais destaque nesse território de identidade, que é Serrinha, choveu apenas cinco milímetros.

COMPARTILHAR